Turquemenistão: um mundo à parte, com estátuas megalómanas… de cães!

Quando regressarmos ao Turquemenistão, teremos uma nova atração para visitar. Não é que, há poucos dias, o presidente inaugurou uma estátua do seu cão preferido, mesmo no centro de uma área residencial? Descubra todos os detalhes aqui.

Há decisões mais excêntricas do que outras, mas… gostos não se discutem. O presidente do Turquemenistão, Gurbanguly Berdymukhamedov, inaugurou há dias uma estátua da sua raça canina favorita, Alabai ou pastor-da-ásia-central, numa rotunda bem no centro de uma nova área residencial para trabalhadores civis, na capital Ashgabat.

Esta estátua é resultado da promessa feita pelo presidente de que iria prestar homenagem à raça de cão característica da região e considerada como património nacional. A gigante construção, totalmente dourada e com 6 metros de altura, foi inaugurada no passado dia 12 de novembro, com pompa e circunstância, numa cerimónia transmitida em direto pela televisão estatal. Houve até uma canção e uma coreografia criadas especialmente para a ocasião, que pode ver aqui.

De acordo com o divulgado pela agência noticiosa do Turquemenistão, a estátua recém-inaugurada pretende representar a “dignidade e confiança” da raça canina em questão, desde sempre adorada pelos habitantes deste país e especialmente pelo atual presidente. Para quem não sabe, em 2017, Gurbanguly Berdymukhamedov ofereceu uma cria Alabai a Vladimir Putin, durante um encontro que simbolizava as boas relações do Turquemenistão com a nação russa.

A estátua do cão é da autoria de Sargart Babayev, um arquiteto de 71 anos. Na sua base encontra-se um ecrã LED, que transmite imagens de pequenos Alabai a brincar e noutras situações do quotidiano. Não foram revelados os valores envolvidos neste projeto.

PODERÁ TAMBÉM GOSTAR DE...

A nova (e soberba) Catedral das Forças Armadas nos arredores da capital russa

Metropolitano de Moscovo: mais de 300 quilómetros de pura beleza

Minas de sal de Wieliczka, Polónia

Ponte Vecchio, Florença: a origem de todas as bancarrotas