A nova (e soberba) Catedral das Forças Armadas nos arredores da capital russa

Uma mistura de anjos com artilharia, imagens religiosas povoadas de kalashnikovs e uma pose da Virgem Maria que nos remete para a propaganda soviética do tempo da Segunda Guerra Mundial. É o que encontrará na recém-inaugurada Catedral das Forças Armadas, no Parque Patriota de Kubinka, a 1 hora de Moscovo. Não é todos os dias que nos vemos confrontados com uma fusão de militarismo, patriotismo e cristianismo ortodoxo – muito menos num monumento dito religioso –, o que já veio criar muita polémica e controvérsia.

Concluída no dia 9 de maio de 2020, Dia da Vitória Soviética, a catedral foi consagrada um mês depois, a 14 de junho, e aberta ao público a 22 de junho, Dia da Memória e Pesar. Não era suposto ter existido este hiato, mas a pandemia da Covid-19 obrigou a isso.

A Catedral das Forças Armadas é já considerada um novo símbolo nacional da Rússia. Segundo adiantou o The Guardian, no interior do edifício existem mais mosaicos do que em qualquer outra igreja do mundo, sendo o principal tema dos mesmos as batalhas russas, em especial as da Segunda Guerra Mundial. Ao mesmo jornal, um perito em assuntos de religião afirmou o seguinte acerca da controvérsia gerada em torno do monumento: “Para muitos padres, que eram novos nos anos 70 e 80 e enfrentaram pessoalmente a repressiva máquina soviética que atacava a igreja, isto é um choque e não conseguem ultrapassá-lo”.

Ficou curioso(a)? Percorra a fotogaleria para apreciar a beleza exterior e interior desta catedral, que, sem dúvida, ainda vai dar muito que falar.

(Clique para aumentar)

Créditos de imagem: Shutterstock Inc.

PODERÁ TAMBÉM GOSTAR DE...

Mosteiro de Rila, Bulgária: firme defensor da identidade nacional

Mosteiro de Rila, Bulgária: desde sempre firme defensor da identidade nacional

Ponte Vecchio, Florença: a origem de todas as bancarrotas

Santo Domingo de la Calzada, “onde cantou a galinha depois de assada”

Sigiriya, o refúgio de um príncipe com sangue nas mãos?